Um turista na Tailândia se tornou a primeira pessoa fora da China a ser diagnosticada com um novo vírus tipo pneumonia que já infectou dezenas de pessoas.

A mulher ficou em quarentena depois de desembarcar em Bangkok, de Wuhan, leste da China, onde o surto começou em dezembro.

Uma pessoa morreu e 41 casos do vírus foram registrados até o momento.

Foi identificado como um coronavírus, que pode causar doenças que variam de resfriados comuns a Sars potencialmente mortais.

Sars – síndrome respiratória aguda grave – matou mais de 700 pessoas em todo o mundo durante um surto em 2002-3, depois de se originar na China.

No total, infectou mais de 8.000 pessoas em 26 países.

A China está livre de Sars desde maio de 2004.

Um turista na Tailândia se tornou a primeira pessoa fora da China a ser diagnosticada com um novo vírus tipo pneumonia que já infectou dezenas de pessoas.

A mulher ficou em quarentena depois de desembarcar em Bangkok, de Wuhan, leste da China, onde o surto começou em dezembro.

Uma pessoa morreu e 41 casos do vírus foram registrados até o momento.

Foi identificado como um coronavírus, que pode causar doenças que variam de resfriados comuns a Sars potencialmente mortais.

Sars – síndrome respiratória aguda grave – matou mais de 700 pessoas em todo o mundo durante um surto em 2002-3, depois de se originar na China.

No total, infectou mais de 8.000 pessoas em 26 países.

A China está livre de Sars desde maio de 2004.

Muitos casos anteriores do vírus teriam sido vinculados a um mercado de peixe em Wuhan.

O novo caso na Tailândia vem logo à frente de um grande período de viagens na China, com centenas de milhões de pessoas se preparando para viajar para o Ano Novo Chinês ainda este mês.

Em 9 de janeiro, o aeroporto de Cingapura anunciou que iniciaria a triagem de temperatura dos viajantes de Wuhan.

As autoridades de saúde de Hong Kong também disseram que implementariam verificações de passageiros e que intensificaram a desinfecção de trens e aviões, informou a agência de notícias AFP.

Philippa Roxby, da BBC Health, informou no início deste mês que este último surto “parece ter despertado lembranças para aqueles que lidaram com a epidemia de Sars há 18 anos”.