O Rolling Loud Music Festival, que celebra artistas globais de hip-hop no sul da Flórida, não foi tão bem para Kodak Black e Lil Wayne.

O US Marshals Service disse em um comunicado de imprensa que Black foi preso no sábado no Hard Rock Stadium, em Miami Gardens. A declaração disse que ele foi acusado de um crime relacionado a armas, mas não deu detalhes.

Enquanto isso, Lil Wayne disse na mídia social que ele se recusou a executar depois de ter sido submetido a uma busca por agentes de segurança ou policiais. Não foi imediatamente claro domingo que tinha feito o tapinha no superstar rapper, cujo nome verdadeiro é Dwayne Michael Carter Jr.

Mas aqui está o que ele tinha a dizer no Twitter:

“Para todos os meus fãs que vieram me ver no Rolling Loud, me desculpe, mas não vou me apresentar”, diz o post. “A Polícia do Festival (não rolando alto) tornou obrigatório que eu tivesse que ser policiado e verificado para entrar no recinto do estádio. Eu não e nunca vou me contentar em ser policiado para fazer o meu trabalho ”.

Lil Wayne já vendeu mais de 100 milhões de discos em todo o mundo. De acordo com seu post no Twitter, ele se apresentou na boate Story, em Miami Beach.

Quanto à Kodak Black, cujo nome atual é Bill Kapri e que nasceu como Dieuson Octave para pais haitianos americanos na Flórida, esta prisão é a mais recente de uma longa ficha que ele reuniu aos 21 anos.

Autoridades dizem que Black fará uma aparição inicial no tribunal federal de Miami na segunda-feira. Registros do tribunal não listam um advogado para ele.

Mais recentemente, Black foi preso no mês passado por acusações de drogas e armas quando cruzou o Canadá para os EUA, perto de Niagara Falls, Nova York. Na Flórida, ele foi acusado em épocas diferentes de porte de drogas e armas, assalto a mão armada, agressão sexual, violações de liberdade condicional e fuga de oficiais.

O Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos e a polícia do Condado de Miami-Dade também estiveram envolvidos em sua mais recente prisão.

Fonte: AP