Dezenas de pessoas estão desaparecidas só no Oregon, disse a governadora Kate Brown, enquanto incêndios florestais mortais continuam a varrer os estados da costa oeste dos Estados Unidos.

Os incêndios têm ocorrido na Califórnia, Oregon e Washington há três semanas.

Alimentadas por ventos em meio a um calor recorde, as chamas queimaram milhões de acres, destruíram milhares de casas e mataram pelo menos 25 pessoas.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, disse que os incêndios mostram que o debate em torno da mudança climática “acabou”.

“Venha para o estado da Califórnia. Observe com seus próprios olhos”, disse ele a repórteres de uma montanha carbonizada.

Os incêndios queimaram um total de 4,5 milhões de hectares – uma área maior que Connecticut e um pouco menor que País de Gales – nas últimas semanas, de acordo com o National Interagency Fire Center.

A poluição causada pela fumaça dos incêndios florestais deixou a maior cidade do Oregon, Portland, com a pior qualidade do ar do mundo, seguida por São Francisco e Seattle, de acordo com IQAir.com .

O porta-voz da Casa Branca Judd Deere anunciou em um tweet no sábado que o presidente Donald Trump visitaria a Califórnia na segunda-feira.

Oregon e Washington

Em Oregon, onde os bombeiros estão lutando contra 16 grandes incêndios, 40.000 pessoas estão sob ordens de evacuação obrigatórias.

O Escritório de Gerenciamento de Emergências (OEM) do Oregon afirma que os incêndios mataram seis pessoas, mas as autoridades alertam que o número final de mortos pode ser muito maior.

A governadora Kate Brown implorou na sexta-feira que os chefes de família ficassem fora das zonas de fogo, apesar dos relatos de saques.

“Permitam-me assegurar-lhes que temos a Guarda Nacional do Oregon e a Polícia Estadual do Oregon monitorando a situação e evitando saques”, disse ela.

Beatriz Gomez Bolanos, 41, disse à agência de notícias Reuters sobre a assustadora jornada de sua família em busca de segurança por meio de incêndios em ambos os lados do carro. Ela disse a seus quatro filhos para fecharem os olhos enquanto fugiam.

“Tudo se foi. Temos que começar de novo do nada, mas estamos vivos”, disse ela à agência de notícias.

Pelo menos um incêndio em Oregon – o incêndio de Almeda, um dos mais destrutivos do estado – está sendo tratado como suspeita de incêndio criminoso.

No estado de Washington, os bombeiros estão combatendo 15 grandes incêndios. Um menino de um ano morreu no início desta semana enquanto sua família tentava escapar de um incêndio. Seus pais continuam em estado crítico.

Califórnia

O governador Newsom, um democrata, falou na sexta-feira enquanto inspecionava os danos do incêndio do Complexo Norte, perto de Oroville, no norte da Califórnia.

“O debate acabou, em torno da mudança climática”, disse Newsom a repórteres. “Esta é uma maldita emergência climática. Isso é real e está acontecendo.”

Ele reconheceu as falhas no manejo florestal nas últimas décadas, mas acrescentou: “Esse é um ponto, mas não é o ponto.”

Destacando o esforço dos Estados para combater a mudança climática, ele disse que as ondas de calor recordes e incêndios sem precedentes são o tipo de problema há muito previsto pelos cientistas.

O presidente Trump, um cético em relação ao clima, enfatizou as medidas precárias de controle de incêndios como a principal causa dos últimos incêndios.

“Você tem que limpar suas florestas – há muitos, muitos anos de folhas e árvores quebradas e elas são … tão inflamáveis”, disse ele em um comício no mês passado.

O Incêndio do Complexo Norte, que arde desde 18 de agosto, está entre os mais mortíferos da história. Dez corpos foram encontrados até agora e outras 16 pessoas estão desaparecidas.

A Califórnia viu pelo menos 20 mortes no total em incêndios desde 15 de agosto. Dezenas de milhares de pessoas estão sob ordens de evacuação, enquanto 14.800 bombeiros continuam a combater 28 grandes incêndios no estado.