O Departamento de Defesa dos EUA divulgou três vídeos desclassificados de “fenômenos aéreos inexplicáveis”.

O Pentágono disse que queria “esclarecer quaisquer equívocos do público sobre se as imagens que circulavam eram reais ou não”.

Os vídeos já foram divulgados em 2007 e 2017.

Dois foram publicados pelo New York Times, enquanto o terceiro vazou por uma organização co-fundada pelo ex-cantor do Blink-182, Tom DeLonge.

Depois do vazamento, algumas pessoas alegaram que os vídeos mostravam objetos voadores não identificados (OVNIs) alienígenas.

De acordo com o New York Times, um clipe de 2004 foi filmado por dois pilotos de caça da Marinha e mostra um objeto redondo pairando sobre a água, a cerca de 160 km do Oceano Pacífico.

Dois outros vídeos filmados em 2015 mostram objetos se movendo no ar, um dos quais está girando. Em um deles, um piloto é ouvido dizendo: “Olhe para aquela coisa, cara! Está girando!”

Vídeo

Em sua declaração, o Pentágono disse: “Após uma análise minuciosa, o departamento determinou que a liberação autorizada desses vídeos não classificados não revela nenhuma capacidade ou sistema sensível e não afeta nenhuma investigação subsequente de incursão no espaço aéreo militar por pessoas não identificadas. fenômenos aéreos.

“O DOD [Departamento de Defesa] está divulgando os vídeos para esclarecer quaisquer equívocos do público sobre se as imagens que circulavam eram reais ou não ou se existem mais vídeos. Os fenômenos aéreos observados em os vídeos permanecem caracterizados como ‘não identificados’ “.

O fascínio pelo inexplicável nunca desaparece. E o fenômeno OVNI é talvez uma das mais potentes dessas histórias, ligando a incerteza sobre mundos além dos nossos a teorias da conspiração sobre o governo e, especialmente, o governo dos EUA.

Ao longo dos séculos, as pessoas olharam para o céu e tentaram explicar luzes e objetos misteriosos. Mas a história moderna dos OVNIs se enraizou em 1947, quando um agricultor descobriu detritos em Roswell, Novo México, inicialmente descrito como um disco voador, mas agora pensava ser parte de um programa secreto de balões para monitorar a União Soviética.

Posteriormente, a base de testes para aeronaves avançadas, conhecida como Área 51 em Nevada, tornou-se o suposto centro de pesquisa de OVNIs. Para os teóricos da conspiração, era nesse ponto que o governo dos EUA procurava aproveitar a tecnologia alienígena avançada.

Ao longo dos anos, muitas das teorias mais estranhas foram desmascaradas. Mas em 2017, o Pentágono finalmente admitiu que tinha um programa de longa data, agora encerrado, investigando supostos OVNIs.

Hoje, a Marinha dos EUA prefere chamar esses avistamentos inexplicáveis ​​de “Fenômenos Aéreos Não Identificados”. Mas isso não substituirá uma sigla que entrou em nosso subconsciente coletivo, suscitando a pergunta fundamental: estamos realmente sozinhos no universo?

Tweetando sobre o lançamento , DeLonge agradeceu aos acionistas de sua organização, à Academia de Artes e Ciências Stars, e disse que esperava financiar mais pesquisas sobre os objetos.

“Com os eventos e artigos de hoje sobre os esforços da minha e da @TTSAcademy para convencer o governo dos EUA a iniciar a grande conversa, quero agradecer a todos os acionistas da To The Stars por acreditarem em nós”, disse ele.

“Em seguida, planejamos buscar a tecnologia, encontrar mais respostas e contar as histórias”.

O músico co-fundou a academia em 2017 para estudar OVNIs e outros fenômenos paranormais.