O Paquistão disse que levará a disputa da Caxemira ao Tribunal Internacional de Justiça.

A mudança ocorre depois que a Índia revogou o status autônomo especial da parte da Caxemira que administra.

O Paquistão reagiu a essa decisão cortando as ligações comerciais e de transporte e expulsando o embaixador da Índia.

Caxemira – que ambos os países reivindicam na íntegra, mas em parte em regra – tem sido o local de décadas de conflito esporádico.

“Decidimos levar o caso da Caxemira para a Corte Internacional de Justiça”, disse o ministro das Relações Exteriores do Paquistão, Shah Mehmood Qureshi, à ARY News TV na terça-feira.

“A decisão foi tomada depois de considerar todos os aspectos legais.”

Ele acrescentou que o caso seria centrado em supostas violações de direitos humanos pela Índia – o que ele nega – na Caxemira de maioria muçulmana.

Uma decisão da Corte Internacional de Justiça seria apenas consultiva, a menos que ambos os países concordassem previamente que a decisão deveria ser obrigatória.

O Artigo 370, a provisão constitucional indiana que confere status especial à Caxemira, foi revogada pelo governo do Primeiro Ministro Narendra Modi na semana passada.

Foto: AFP