O Alabama assinou uma lei que exige que alguns pedófilos condenados sejam submetidos à castração química.

Segundo a lei, aqueles que forem considerados culpados de uma ofensa sexual contra um menor com idade inferior a 13 anos terão que começar a medicação para reduzir o desejo sexual um mês antes de serem liberados em liberdade condicional.

Um tribunal decidirá quando não for mais necessário.

Existem agora sete estados, incluindo Louisiana e Flórida, com leis de castração química.

A lei foi sancionada pelo governador do Alabama, Kay Ivey, na segunda-feira. “Este é um passo para proteger as crianças no Alabama”, disse ela.

Os infratores serão obrigados a pagar pela medicação.

A medida foi proposta pelo representante republicano Steve Hurst. Ele disse que foi afetado por ouvir um relato de uma organização de assistência social de uma criança pequena sendo agredida sexualmente.

O projeto de lei foi criticado pela American Civil Liberties Union of Alabama. O diretor executivo Randall Marshall disse à AL.com: “Não está claro se isso realmente tem algum efeito e se é comprovado clinicamente.

“Quando o estado começa a experimentar pessoas, acho que isso entra em conflito com a Constituição”.

O que é castração química?

O tratamento, geralmente administrado em comprimidos ou por injeção, bloqueia a produção de testosterona e afeta o desejo sexual de uma pessoa.

No entanto, geralmente é revertido quando o tratamento é descontinuado.

Em 2009, vários prisioneiros no Reino Unido participaram de um esquema piloto em que foram castrados quimicamente .

Foi testado com agressores voluntários com um “alto nível de excitação sexual ou intensas fantasias ou desejos sexuais”.

O psiquiatra criminal Don Grubin disse que aqueles que foram testados relataram “mudanças marcantes em suas vidas”.

Em 2016, a Indonésia aprovou uma lei autorizando a castração química, sentenças mínimas e execução para pedófilos condenados. Na época, Prijo Sidipratomo, da Associação dos Médicos Indonésios, considerou-a “prejudicial” e “contra os direitos humanos”.

A Coréia do Sul promulgou uma lei de castração química em julho de 2011.

Fonte: BBC